top of page
Buscar

Amom anuncia coautoria em CPMI dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro

Parlamentar declarou que possível omissão do Governo Federal deve ser investigada e os envolvidos devem ser responsabilizados; vídeo vazado na imprensa nacional motivou a decisão

Amom em discurso na tribuna. Foto: Saulo Menão/Cidadania


Após o vazamento de imagens que indicam uma interação entre o então ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general da reserva Gonçalves Dias, e vândalos durante a invasão ao Palácio do Planalto no último dia 8 de janeiro, o deputado federal Amom Mandel (Cidadania-AM) subscreveu, nesta quinta-feira (20/04), o requerimento de criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar possível omissão do Governo Federal para conter o ato. A subscrição o coloca como coautor do requerimento.


De acordo com o parlamentar, os vídeos divulgados constituem um fato inédito que comprova a necessidade de uma investigação detalhada no Congresso Nacional para responder a questionamentos reincidentes. O vazamento dos vídeos coloca em dúvida a postura do Governo Federal de impor sigilo de 5 anos às imagens.


Amom negou que apoiar e contribuir com as investigações na CPMI representam um posicionamento ideológico e reafirmou a independência e transparência em seu mandato. Para o parlamentar, é importante que a investigação entre em curso para que a verdade seja divulgada e dê fim às especulações que têm sido levantadas pela população. “Se omitiram esses vídeos da polícia federal e do STF, precisamos da força do Congresso Nacional para apurar os fatos”.


“Com o vazamento do vídeo, um fato novo que muda absolutamente tudo, vejo que informações foram omitidas das investigações em curso e que o Congresso Nacional precisa entrar em ação para que todos os envolvidos revelem as informações necessárias. Precisamos apurar quem financiou, quem se omitiu e quem participou da invasão aos três poderes”, declarou o deputado federal.


Como coautor da proposta, o parlamentar será capaz de acrescentar novos questionamentos e linhas de investigação que auxiliem na apuração dos fatos ocorridos. Além desta CPMI, uma Comissão Parlamentar de Inquérito foi instaurada na Câmara Legislativa do Distrito Federal em janeiro deste ano e ainda está em curso, assim como outras investigações por parte de órgãos federais como o Ministério Público Federal.


Foto: Saulo Menão/Cidadania


Déborah Arruda - Assessoria de Comunicação


Comments


bottom of page