Covid-19: Projeto que pune quem promover festas clandestinas avança na CMM

Projeto de Lei do vereador Amom Mandel (PODE) recebeu parecer favorável da CCJR e do plenário e seguiu para tramitação na CMM


O Projeto de Lei (PL) do vereador Amom Mandel (PODE) que pune empresários que promovam aglomerações, por meio de festas ou eventos clandestinos, com o fim de isenções de impostos municipais, recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e pelo plenário Câmara Municipal de Manaus (CMM). A votação do parecer aconteceu nesta segunda-feira (14/06).


“A proposta agora segue para a Comissão de Finanças, Economia e Orçamento da CMM. Eu acredito que muito em breve esse PL será transformado em lei e seguirá para o Executivo Municipal.”, disse Amom Mandel.


Apoio o segmento cultural


Segundo Amom Mandel se faz necessário que o Estado apoie o setor de eventos, impedido de desempenhar suas atividades durante o período de pandemia. “É um segmento que emprega centenas de pessoas e vem sendo

impactado há mais de um ano pelas medidas restritivas. O Estado precisa apresentar ações concretas de apoio ao setor cultural local.”, pontuou Amom.


Sobre o Projeto de Lei



O Projeto de Lei dispõe sobre a proibição de aplicação de anistias fiscais, descontos, decréscimos, flexibilizações e deduções de impostos no âmbito jurisdicional do Município de Manaus em face de empresas, pessoas jurídicas de direito privado, que desrespeitarem as medidas para a contenção do número de infecções por Covid-19 ao promoverem festas ou eventos clandestinos que resultem em aglomeração de pessoas, ou ainda que facilitem de alguma maneira a sua realização.


A proposta de Amom Mandel foi apresentada durante o pico da segunda onda da pandemia do novo coronavírus na capital do Amazonas. Na época vereadores já se mostravam favoráveis ao PL proposto pelo parlamentar.


Foto: Robervaldo Rocha/CMM

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo