Justiça mantém decisão favorável a Amom em ação que barra aumento do ‘Cotão’ da CMM

Atualizado: 25 de abr.

Para Amom Mandel, a decisão da magistrada demonstra a falta de moralidade no aumento da verba


O aumento de 83% do “cotão”, a verba para gasolina, aluguel de carros, internet e afins que os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) utilizam continua suspenso. Em nova decisão, a juíza Etelvina Lobo Braga, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Manaus, rejeitou as prerrogativas apresentadas pela Casa Legislativa para justificar o reajuste de 83% da verba. Amom é o único parlamentar a não utilizar a cota.


A decisão, divulgada nessa segunda-feira (04/04), ocorre em resposta à ação popular ajuizada em janeiro deste ano pelos vereadores Amom Mandel (Cidadania) contra o aumento de R$ 18 mil para R$ 33 mil da Verba para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP). A magistrada discordou dos argumentos apresentados pela Câmara de que o instrumento utilizado pelos vereadores era ilegítimo e que um mandado de segurança contra o aumento do “cotão” também ajuizado pelos dois vereadores já estava em tramitação, o que impediria a ação popular.


Para Amom, a decisão favorável reflete também a opinião popular contrária ao reajuste. “Acredito que já está claro que esse reajuste não é necessário. Manaus não precisa desse reajuste, que considero imoral e uma afronta à população que nitidamente é contra a mais esse ‘benefício’ político. A justiça também já entende dessa forma”, afirmou Amom Mandel.


O aumento da CEAP foi votado em regime de urgência na última sessão plenária de 2021. O “cotão” é utilizado para atividades como divulgação das atividades parlamentares, aluguel de veículos e combustíveis. A ação contra o reajuste foi movida por Amom Mandel com apoio do vereador Rodrigo Guedes (Republicanos).


Texto: Déborah Arruda

Foto: Robervaldo Rocha - CMM


Leia mais: Em nova decisão, Justiça mantém suspenso o aumento do Cotão na Câmara Municipal de Manaus - Dia a Dia Notícia

2 visualizações